11 de fev de 2011

É canalha sim!

Cara, na boa! Eu nem sei por onde começar este post, porque eu tenho tanta coisa pra falar que está mega engasgado faz tempo e só agora, hoje, depois de ter certeza das coisas que eu já descofiava, me deu vontade de mandar se fuder! Bom, vou ter que dar uma resumida, não vai ter jeito.
Em 2007, eu conheci um cara. Dono de uma beleza que eu nunca tinha visto, simpático, um amor... me encantou com seu jeito de conversar e de me tratar. Achei que finalmente, depois de ter sofrido tanto eu tinha achado alguém que realmente fosse me devolver tudo aquilo que eu estava disposta a oferecer. ERRADO!

Está muito enganado quem está lendo e pensando que este post ia ser minha narração de uma estória de amor que não deu certo, pelo contrário, será a narração da minha burrice extrema. Não estou sendo dramática, apenas realista, neste momento eu estou me achando muito burra!

Continuando... com o passar do tempo, eu fui notando que ele não era aquele cara que aparentava ser. Devemos desconfiar das pessoas que falam demais. Ele me dava pequenos motivos pra desconfiar dele, mas eu não queria ver. Muitas vezes, quando eu estava em algum lugar que ele também estava, ele me ignorava, fingia que eu não estava alí, mas outras vezes, me chamava, me queria, me provocava. É pra deixar qualquer um confuso. Tivemos uma conversa à um tempo atrás, ele me falou cada coisa bonita, coisas que eu nem imaginava ouvir dele um dia, me ligava e dizia que era apaixonado por mim. MENTIRA!

Eu ficando com ele, ele ficava e namorava com outras e eu não falava nada achando que ele poderia UM DIA enxergar que quem queria ele realmente ERA EU e me assumir. Eu aguentei isso por três anos (mais ou menos umas 5 ficantes e 2 namoradas sérias). Eu já me ferrei muito por causa dele, me humilhei, mas não vou mais. Eu tenho um péssimo defeito de achar que todas as pessoas são boas, que todas elas sempre procuram fazer o bem e são honestas, infantil demais da minha parte, chega até ser cômico. As pessoas são mais vilãs do que mocinhos, FATO. Eu sim, eu posso falar que eu tenho um coração bom, porque todas as vezes que eu pude ajudá-lo (mesmo já sabendo do quanto ele é um filho da puta), eu fiz, aliás, fiz até o que eu não podia por ele. Tenho minha consciência limpa em relação à isso.

Tô cansada de ser troxa, de agir com sentimento e achar que tudo vai ficar lindo no final... É tudo mentira. Ele é um canalha, que usou da minha bondade e boa vontade e fora o resto, que eu prefiro não comentar. Ele gosta de ser pisado, de mulheres lixo que só cospem na cara dele e não tem escrúpulo algum (porque todas as vadias que ele nomeia como namorada são assim e pior, garotas de programa!). Porque deve ser fácil namorar essas vadias de banheiro de rodoviária. E se ele é assim, comigo mesmo é que ele não vai ficar porque eu não preciso de alguém como ele do meu lado. Acho que em um relacionamento, as pessoas devem se somar e não subtrair.

Bom, hoje dia 11 de Fevereiro de 2011 posso dizer que: estou livre e liberta deste pesadelo e encosto na minha vida! Que ótimo, porque essa era mais uma meta que eu criei para mim na virada de 2010 para 2011! Também posso agradecer à Deus que me livrou desse ser repugnante e à ele também, pois aproveitei daquele corpinho (Há) e aprendi bastante coisa nesses três anos: todo gogo boy é vendido, não existe homem sincero e que eu sou muito melhor que ele!
Agora uma mensagem direta:

Lindo, você tenta ser uma pessoa certa, mas não consegue! Você não larga do meu pé porque você sabe que eu sou muito melhor que essas vadias que você se envolve e sabe que nunca mais vai achar uma pessoa como eu pra você, é claro, porque no mundo ainda existe muitas meninas como eu. Desculpa falar, mas seu fim é sendo corno e pisado pro resto da sua vida, vivendo no seu mundo de imaginação. Se cuida, neném! ;)
 
"Mesmo sem saber o que virá depois, calada, lembro do que houve entre nós dois. Encontro um bom motivo em minha voz pra não te ver mais. Ah, eu abro aquele vinho que ficou guardado, eu ponho aquele disco do verão passado e já não estou ligando se você ligar, porque agora, bem mais leve, eu não vou te escutar!"
Para ouvir hoje: Aguarraz - Bem Mais Leve.

10 de fev de 2011

Realização de um sonho!

Finalmente eu posso dizer que eu CONSEGUI realizar um sonho. É tão bom fazer aquilo que a gente tem vontade, que a gente planeja e finalmente acontece. Sinceramente, eu não sei qual foi o dia em que eu fiquei mais feliz... o dia da cirurgia ou o dia em que eu fechei o contrato com a clínica. Foi uma sensação tão boa, tão agradável que me senti nas nuvens e é difícil descrever essa alegria, essa queimação que dá dentro da gente, não dá! Acho que só quem já sentiu consegue saber o que eu estou falando.

Bom, pra quem não sabe do que eu estou falando, eu coloquei 400 ml de silicone à 1 mês e 20 dias exatamente. E vou contar tudo bem direitinho como foi.

Desde quando eu percebi que nunca ir ter peitos grandes ou seios fartos como preferirem, como a minha família inteira tem, eu pensava em colocar silicone, mas não tinham muitos meios ainda, não conhecia ninguém que havia feito e também não tinha recomendação de nenhum médico.

Até que, na virada do ano de 2009 para 2010, eu profetizei: - Esse ano eu compro meus peitos, nem que for dia 31/12/10 às 23he59. Eu li isso em um livro, achei o máximo! No livro, o autor disse que temos que sempre nos colocar uma meta, por exemplo, se eu deixar um livro na estante e falar: - Um dia eu leio, desculpe, você nunca irá ler esse livro, mas, se você falar: - Até Abril eu leio, em Maio você terá lido!

Em Junho do ano passado eu já estava nos preparativos, nunca tinha passado em médico nenhum e não tinha noção de preço e procedimentos da cirurgia. Marquei uma avaliação eu fui toda feliz. Foi amor à primeira vista com o médico. Ele muito simpático e brincalhão, mas ao mesmo tempo muito sério no que dizia. Eu já queria me internar no mesmo dia, mas infelizmente, existem os exames pré-operatórios. Demorei pra voltar lá depois, pois estava sem grana, mas não desisti!

Chegou Novembro e eu não tinha esquecido da minha promessa. Finalmente eu fui na clínica para definitivamente fechar o contrato e marcar a data da cirurgia... dia 21 de Dezembro de 2010 às 16h (quase igual na minha profecia). Sim, consegui realizar meu sonho! A cirurgia durou pouco menos uma hora, cheguei no hospital às 16h e saí às 21h, tudo muito tranqüilo. Anestesia local e sedativos (liguei pra minha prima duas vezes para contar que estava tudo bem rs) e pronto, estava feito!

Quinze dias de repouso e alguns incômodos, quarenta dias usando aquele sutiã de vó e depois... vida normal, aliás, vida mais generosa rs! Eu amei tudo, desde o primeiro dia que eu fui conhecer o médico até o dia em que ele me disse adeus hahaha... e eu, respondi: - Não se iluda, você não vai se livrar de mim... eu só estou começando e te vejo em breve! Rs. A gente se sente tão bem, com os cuidados e tratamentos que recebemos, acho que é por isso que as pessoas viciam em cirurgias plásticas.

Posso dizer que estou muito feliz com o resultado graças à Deus em primeiro lugar, à minha mãe, ao Dr. Ricardo Alexandre Silveira (s2), à clínica Dream Plastic e à Ananda Lopes que cuidou de mim o tempo todo que eu estava operada!

Obrigadaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! S2

9 de fev de 2011

Como a maioria disse...

O primeiro post foi meio triste porém, muito sincero da minha parte e essa que é a principal intenção desse blog: sempre falar a verdade e o que estou sentindo. Algumas pessoas me perguntaram: - Pra que fazer um blog, você não acha que isso ta ultrapassado? A minha resposta foi: - Eu não sei!

Sério mesmo, eu não sei, eu acho que: faz blog quem gosta de escrever, quem acha que de alguma forma, escrever vai ajudar em alguma coisa em seu psicológico! Eu, particularmente desde criança sempre gostei de escrever, meu forte sempre foi língua portuguesa, até mesmo hoje minha tia me perguntou se eu conseguiria ajudá-la a resolver alguns problemas de matemática e eu somente ri!

Escrever também me dá a sensação de que eu consigo desembaralhar muita coisa que eu não consigo pensar direito, não consigo manter uma linha de pensamento. Também tenho problema de memória então, escrever ajuda a deixar registradas coisas que não posso e nem devo esquecer (isso será um post futuramente, um daqueles bem sérios).

Sobre blog ser ultrapassado... eu não acho! Agora existem aqueles vlogs e coisas mais modernas também que talvez sejam uma extensão dos blogs, como Twitter e Facebook, mas eu acredito que cada um tem seu jeito de se expressar melhor, falando ou escrevendo. Eu mesma, na época de colégio, podia saber a matéria de cabo a rabo, mas se a prova fosse oral, era nota vermelha na certa por não saber me expressar direito. Já me ferrei muito com isso, não só na escola, mas também quando eu precisava falar certas verdades para certas pessoas e não conseguia. Um dia eu aprendo, crio um vlog e falo essas tais verdades na cara de quem merece, mas, antes disso eu vou fazer dois post’s BAPHOS sobre essas pessoas... anciosa pra isso!

Por fim, quero agradecer quem está acompanhando o blog e pedir pra quem leu e não comentou, por favor, comente... eu sou curiosa e adoro saber a opinião das pessoas. Mesmo se você não curtiu, fala! Gosto de críticas construtivas!

Para ouvir lendo: Capital Inicial - Fogo

Beeeeeeeeeeeeeijos!

7 de fev de 2011

Estréia!

Hoje é dia 7 de Fevereiro de 2011, e eu estou começando a escrever tudo o que me passa nessa cabecinha. Difícil, viu? Posso dizer que tenho grandes habilidades para fazer isso, pois para desembaraçar tudo o que está passando aqui dentro e colocar no papel, posso dizer que é uma tarefa quase que impossível.

Faz três semanas que eu estou fora de casa (tirando aquelas outras 3 semanas que eu estava operada e também fiquei aqui...) Já estou sem roupa, sem dinheiro, sem ânimo nenhum para nada. Eu e minha mãe estamos tentando entrar em um acordo, resolver nossa vida logo... Outro dia eu falo sobre isso! Não to afim hoje!

Hoje eu quero falar sobre algo está acontecendo e eu estou custando para acreditar... não quero citar nomes nem nada, simplesmente para não comprometer ninguém, mas se eu citar alguns fatos, essa pessoa vai saber que é ela! Já conversei com essa pessoa sobre tudo o que eu to sentindo e pensando, ela já sabe. 

A frase “Só dá valor quando perde” é muito verdadeira. Acho que estou provando isso... Quando estamos namorando e esse relacionamento está um lixo, a gente pensa em terminar, largar tudo, jogar tudo pro alto, mas quando terminamos, sentimos falta, choramos, parece que conseguimos enxergar todas as qualidades dessa pessoa com mais facilidade. Não, essa não é a minha situação, mas é bem parecida. Não estava namorando ninguém, mas estava consciente de que essa pessoa me amava e estava ali quando eu precisava, quando de repente, essa pessoa entra em outro relacionamento tentando me esquecer. Ele foi meu primeiro em tudo:  primeiro amor, primeiro namorado, primeira vez, primeira decepção, primeira dor... Não tem como esquecer, tem?

O mundo dá muitas voltas, é impressionante como nós nunca temos certeza de nada nessa vida, uma hora você está por cima, outra por baixo. Não estou reclamando que ele ta tentando viver a vida dele, já que depois que terminamos eu fiquei atrás, depois ele atrás de mim e ninguém se deu a chance, só estou tentando relatar que apesar de tudo, no fundo, no fundo, é dele que eu sinto falta... das palhaçadas, dos abraços, daquele beijo que só ele sabe dar, da carinha de dó que ele faz, de tudo!

Independente de TUDO, quero que ele seja muito feliz, e claro, eu também quero!

Música de hoje: Nando Reis – Por Onde Andei