25 de out de 2011

Eu queria ser...

    Eu adoraria ser diferente do que eu sou no momento. Não, eu não acho que eu esteja agindo corretamente. Eu tô travada, estagnei e ainda não tive coragem de sair de onde eu parei. Não sei se isso é pura idiotice minha, se é algum tipo de escudo contra o medo de sofrer de novo e passar por todo aquele processo que me derruba ou sei lá mais o que pode ser. 
   Não tenho um histórico muito bom em relação à coisas que e considero importantes como, família, relacionamento e empregos. Nunca fui feliz em nenhum deles e eu acho que todas as coisas que aconteceram me ajudaram a ficar assim, medrosa e desiludida. 
   Eu queria ser mais confiante, eu queria ser menos ciumenta, eu queria ser mais corajosa, eu queria ser menos medrosa, eu queria ser, eu queria ter... Tá difícil, tá complicado, a vidinha tá mais ou menos e não como eu gostaria que fosse. Minha auto-estima tá no subsolo, consequentemente me acho incapaz de diversas coisas, mesmo coisas que eu sei que sou completamente capaz. 
   Isso tá me prejudicando, eu sei... Em todos os setores da minha vida! Desanimei de coisas que eu sempre amei fazer, como sair com meus amigos, conversar, tomar uma cerveja na calçada, e isso não é nada bom! E nessas eu acabo perdendo ou distanciando as pessoas que eu gosto e que gostam de mim, o que é a última coisa que eu quero no mundo, eu juro por tudo!
   Eu quero mudar! Quero ser mais presente, quero deixar de lado TODOS meus fantasmas e sim, conseguir (não somente tentar) ser feliz, definitivamente. Ninguém pode sonhar e viver por mim, então eu tô mais do que disposta a fazer isso. Preciso entender que as pessoas são diferentes uma das outras, e que por melhor que uma pessoa seja, ela vai me machucar um dia e eu vou ter que perdoá-la por isso. Não vou dizer que vai ser fácil, e realmente não será, mas eu vou conseguir, enfrentando meus medos e saindo da minha zona de conforto. 
   Nada no mundo é um mar de rosas, mas se a gente tentar e sempre pensar positivo as coisas melhoram e podem dar uma amenizada, eu creio. Então, a partir de hoje eu me desafio a agir e pensar diferente, e assim, ter um feedback positivo, é tudo o que eu eu desejo... Hoje é dia de ser feliz, bebê!

1 de jul de 2011

A pessoa certa na hora errada ou a pessoa errada sem hora marcada?

    Existem tantas coisas que eu gostaria de entender ainda, mas são coisas totalmente impossíveis de serem entendidas. Acho que nunca, ninguém vai poder me explicar as coisas que acontecem ao decorrer das nossas vidas. Existe uma frase que eu adoro e que futuramente será uma tatuagem: “Nada é por acaso e nem precisa ter razão.” Todos dizem que as coisas acontecem por que devem acontecer e que tudo tem um propósito. Confesso que acreditar que as coisas acontecem sempre para o nosso bem me deixa um pouco menos apreensiva.
    As coisas só poderiam ter uma explicação clara para mim se acontecesse a mesma coisa que aconteceu com o protagonista do livro “A Cabana”. Para quem não leu, uma breve explicação: Ele sofreu uma grande tristeza em sua vida e por isso perdeu sua fé em Deus, até que um belo dia, Deus o convida para passar um final de semana em uma Cabana. A partir desse momento ele começa a entender as coisas ruins que aconteceu com ele.
    Enfim, não que eu esteja revoltada com Deus, até mesmo porque nem tenho motivos para isso, mas sim apenas gostaria de saber coisas que no momento me parecem estar erradas em minha vida. Sabe quando tudo parece não dar certo? É como eu estou me sentindo... emprego, família, relacionamento. É complicado, me sinto mal por isso pois eu acho que o problema está comigo. Todos sempre me dizem a mesma coisa: 
- Flávia, você é linda, inteligente, menina de família, tem um coração bom. OK! E AÍ?
Será que se eu fosse sacana, mentirosa e maldosa eu me daria melhor? Me pergunto isso todos os dias, porque eu vejo tantas pessoas que não agem com o coração, que são frias e calculistas feitas, felizes na vida e isso me revolta ao extremo! Espero mesmo que meu jeito e minha honestidade um dia possam me trazer algo de bom!
    Domingo tive uma curta conversa com um amigo, eu não estava bem, na parada gay, no meio de 4 milhões de pessoas eu estava me sentindo sozinha, perguntei: - O que está faltando? Ele respondeu: - A pessoa certa! Mas porque raios a pessoa certa não pode ser a pessoa que eu quero? Aliás, o que é “a pessoa certa”?  Pelo que eu sei, ninguém chega e fala: - Oi, eu sou a pessoa certa! Isso não existe e a única conclusão que eu posso tomar sobre isso é que você nunca vai saber quem é a pessoa certa ou a pessoa errada se você não tentar conhecer essa pessoa de verdade.
    A pessoa certa pra mim é aquela que me faz me sentir bem, que me faz sorrir só de me dar um “bom dia”, que me liga de madrugada pra falar que me adora. Aquela que não dispenso a companhia mesmo que seja pra assistir Zorra Total comendo jujubas (eu odeio Zorra Total e jujubas). Não preciso de dinheiro, não quero luxo, não preciso que “a pessoa certa” use roupas de marca e perfumes caros. Eu prefiro ganhar um anel que vem dentro do Sucrilhos com sentimento do que um solitário sem amor. Quando eu gosto de alguém eu não me importo mesmo! Não me importo com profissão, salário, o que faz ou o que deixa fazer e a única coisa que eu quero é sentimento e sinceridade. É realmente só isso que eu quero.
    As pessoas me dizem que o meu problema é sempre gostar e querer “a pessoa errada”. Não acredito que as pessoas mudam da água pro vinho, cada um tem a sua essência, mas eu juro que eu faria o errado se tornar o certo, pelo menos pra mim. O que me interessa é o íntimo, coisas que só a gente sabe, o jeito que ele faz e me faz sentir é especial, delicioso, talvez viciante. Sim, agora eu estou falando de alguém específico.
    Desde pequena eu sou muito insistente, minha mãe que pode falar bem disso. Sempre que eu quero alguma coisa eu peço tanto, mas tanto que eu acabo vencendo pelo cansaço. E eu to assim nesse momento, querendo uma coisa e pedindo insistentemente para Deus. Ele já deve estar me achando chata, mas eu disse que eu vou continuar pedindo até Ele me dar, igualzinho eu faço com a minha mãe.
    “Não me venha falar de razão, não me cobre lógica, não me peça coerência. Eu sou pura emoção, tenho razões e motivações próprias. Me movimento por paixão, essa é minha religião e minha ciência. Não meça meus sentimentos e nem tente compará-los a nada. Deles sei eu, eu e meus fantasmas, eu e meus medos, eu e minha alma.”
   Mas a vida é assim mesmo, um mistério que só Ele poderia explicar, mas talvez esse mistério que seja a graça e o sentido da existência. A única coisa que eu sei é que eu não sei de nada mas tenho fé que tudo dá certo no fim e que se ainda não deu certo é porque o fim não chegou! 

2 de jun de 2011

Não é para você, é sobre você!

Eu não sei se eu deveria estar escrevendo isso, mas já estou... prometi para mim mesma que eu não ia guardar mais nada só pra mim, independente de quem for ler isso, não me importo... É o que eu estou sentindo, então é verdadeiro.

   Eu não estava nem pensando em me apaixonar por ninguém por um bom e longo tempo, o foda é que quando você menos espera essas coisas acontecem. Eu estava cansada de algumas situações que me desgastaram muito, mas com sinceridade, aprendi bastante com elas. Era um sábado, como qualquer um. Me arrumei pra ir no meu lugar preferido, com pessoas que eu adoro. Foi quando o conheci, ele entrou na roda, conversou, mas logo saiu. Não podia nem imaginar que daquele dia em diante muitas coisas, pensamentos e sentimentos em mim iriam mudar tão rápido.

   Aquela noite foi bem divertida, ouvi e dancei as músicas que eu gosto com pessoas queridas e só. Fui pra casa, dormi. Quando acordei, como de costume entrei no msn e um dos meus amigos que estava comigo aquela noite me disse que me passaria o msn daquele menino que havíamos conversado na noite anterior. Adicionei. No começo foi estranho, não sabia o que falar, afinal nem o conhecia direito. Depois de um tempo, começamos a ter mais intimidade um com o outro e nos abrindo cada vez mais, falando de problemas familiares, passado, planos futuros. Foi nesse momento que eu pensei: Ele não é mais um, tem caráter, fibra, luta pelo o que quer e eu gosto assim.

   Os dias foram passando, nós nos falando com mais freqüência e intimidade e eu o achando cada dia mais lindo por dentro e por fora. Até que um belo sábado ele me disse que ia trabalhar e eu disse que iria para aquele mesmo lugar que nos conhecemos e que se ele quisesse aparecer por lá, eu ficaria feliz em vê-lo denovo. Foi exatamente o que aconteceu. Foi muito intenso tudo naquele dia, nossa, nunca tinha sentido algo tão bom por alguém em tão pouco tempo. No domingo de manhã, ele me chama no rádio, falando que estava no mercado e que só queria ouvir minha voz... eu não me esqueço disso e eu acho que foi a partir desse momento que eu me deixei levar e esqueci tudo o que eu tinha sofrido antes.

   Nos falávamos todos os dias por rádio, telefone, messenger e eu sentia que ele era uma pessoa verdadeira, que se importava comigo... se eu estava bem, se eu tinha almoçado, se eu tinha ido bem em uma entrevista de emprego. Será que eu estava tão enganada assim?  Era tão bonitinho ele demonstrando que tinha ciúmes, parecia que queria cuidar. Com algumas palavras bonitas também vieram os problemas. Ele me disse que a distância atrapalhava. Moramos longe sim, é difícil mas, eu realmente não me importava... eu poderia percorrer essa distância todos os dias se necessário.

   Às vezes eu erro demais com as pessoas, pelo menos eu acho que erro. No sentido de ser muito intensa, sincera. Isso me confunde muito, não sei se eu devo ligar todos os dias pra falar que eu me importo com ele e perguntar se ele está bem ou se eu deixo ele sentir minha falta e sumo. Mas se eu sumir ele pode pensar que eu não to interessada, sendo que eu estou sim, e muito.

   Infelizmente nessa vida (na minha vida) nada é como queremos. Não podemos controlar as decisões de ninguém e muito menos jogar um pozinho mágico e dizer que está tudo bem. Eu agradeço muito a conversa que tivemos e a sua sinceridade. Isso é muito precioso! Claro que eu discordei de algumas coisas, tentei reverter, achar uma solução pra tudo ficar bem, mas não consegui. Ele me disse que está confuso e eu respeito isso. Quando estamos assim, realmente devemos ter um tempo pra gente decidir o que quer e o que é melhor pra gente.

   Eu realmente não quero expor e apontar as circunstâncias que colocaram um fim nisso, não precisa. Nós sabemos e basta. Só queria mesmo deixar relatado essa estorinha que eu gostei de viver e que por mim não teria acabado e também queria que ele soubesse que ele é muito especial pra mim, que eu nunca o faria sofrer, o respeitaria até o fim, que é tudo verdadeiro o que eu falo e sinto por ele. Mesmo com esse sentimento em mim, eu vou continuar seguindo meu caminho, ir atrás dos meus objetivos de vida, cuidar de mim e vou guardar sim o que ele me pediu, até mesmo porque não vou conseguir me desfazer disso tão cedo porque eu já disse e digo novamente: Foi intenso demais!


Te adoro neném, tá doendo, mas o que não me mata me fortalece! Seja feliz! Hunf hunf hunf hunfff!

"Nada como um dia pós dia, uma noite, um mês, os velhos olhos vermelhos voltaram de vez..."

19 de mai de 2011

Vamos nos permitir...

Medo é um sentimento que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente quanto psicologicamente. Pavor é a ênfase do medo. (Wikipédia).

O sentimento de medo é natural de todos os seres vivos. Quando se sente ameaçado ou em perigo sentimos isso, querendo ou não é uma defesa de todos nós. Ele é bom, pois assim sabemos nosso limite para tudo e evitamos tragédias.

Eu tenho, morro de medo de muitas coisas, como por exemplo: altura, piscina funda (sim, eu tenho hidrofobia), barata, enfim, coisas que eu acho que podem me fazer mal. Mas não quero falar de medo em geral, mas sim de um medo que pode atrapalhar uma vida inteira... o medo de ser feliz.

Já tive muitos momentos felizes em meus relacionamentos, mas nunca passou somente disso. Nunca foi algo concreto, firme, que perdurasse por um bom período que eu pudesse dizer: Sim, eu tive uma história com essa tal pessoa. Foi daí que meu medo começou a tomar conta de mim, medo de me envolver e ficar só no fim da estória. Sinceramente, eu sou muito “coração”, sempre me entrego, acredito nas coisas que as pessoas me falam, tento ser eu mesma, a Flávia que gosta de cuidar e ser cuidada, bajular, ajudar, dar apoio quando preciso e claro espero isso também da pessoa em questão.

Infelizmente nem sempre é assim, aliás, comigo nunca foi assim. Por mais que eu faça as coisas de coração e me entregue 110% não adianta! Será que esse é o problema? Me entregar demais? Mas aí eu também me pergunto... se eu não demonstrar meus sentimentos a pessoa vai achar que eu não to afim, o que é mentira, porque eu quero, quero muito. Se eu demonstrar meus sentimentos a pessoa acaba achando que eu to mentindo e exagerando... Depois desses pensamentos, o medo chega e acaba com o resto de esperança que eu tinha. Esse medo não me deixa pensar direito, me deixa confusa, me atrapalha. Eu cansei de sentir medo.

Do mesmo jeito que eu sinto isso, tenho certeza que ele também sente. Ele já me demonstrou isso com algumas falas e atitudes. Gostaria muito que ele soubesse que não precisa ter medo de gostar de mim porque eu estou sendo sincera em todas minhas ações. Estou falando e fazendo coisas que estão partindo do meu coração e de um sentimento que ele fez florescer onde parecia não existir mais vida. Ambos estão com medo de sofrer, de achar que um quer aproveitar do outro... acho que os dois já apanharam bastante nessa vida para se sentir tão acuados desse jeito. Esse medo que predomina tem que acabar para os dois conseguirem confiar um no outro e deixar acontecer...  Eu adoro ele, adoro ficar com ele, quero cuidar e não deixar ninguém machucá-lo denovo. Quero acordar do lado dele, ou até mesmo esperar ele chegar do trabalho pra gente ficar junto. Não gostaria de abrir mão denovo das minhas vontades e dos meus sentimentos, isso não é justo.

Mas, de uma coisa eu tenho certeza... a partir de agora eu vou agir diferente. Vou colocar Deus à frente de tudo e de todos. Vou pedir pra ele me iluminar a cada passo que eu der, se eu cair, tropeçar vai ser porque Ele quer, mas com certeza depois da tempestade sempre vem um dia LINDO! E eu tenho fé, eu sei que Ele me ama e faz tudo para o meu bem. Chega de medo... quero mais é ser feliz. Vamos nos permitir?


Porque eu, o SENHOR teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, eu te ajudo. Isaías 41:13


Ps.: Não sei se estou escrevendo isso à toa, mas novamente é o que eu estou sentindo.

12 de abr de 2011

Era uma vez...

   Uma garota, que se achava estranha, mas que todos ao seu redor a achavam bela! Ela não era do tipo de menina que fazia tudo o que queria.Tinha muito medo do que as pessoas iam pensar dela e também porque ninguém a deixava. Achavam que ela era de porcelana e que poderia quebrar a qualquer momento.
   Ela sempre sonhou com o príncipe encantado que iria tirá-la do inferno em que ela sempre viveu. Sua vida não era a das melhores, mas ela tentava fazer com que fosse. Sempre disposta a ajudar quem precisava, de coração aberto para tudo e para todos ela achava que ninguém mentia.
   Eu conheci essa menininha, tão inocente e doce, mas ela também era muito triste. Um belo dia, ela conheceu um menino. Também cheio de sonhos e vontades. A maior vontade dele era fazê-la feliz, mas no começo ele não era tudo aquilo o que ela queria de verdade e ela estava confusa em relação ao que sentia. O tempo foi passando e essa menina se apaixonou loucamente por esse menino, ele conseguiu o que ele queria: fazê-la feliz, mesmo que por um curto período.  
   Esse foi o único e conto de fadas que ela viveu, sem final feliz porque depois de um ano tudo teve fim. Ela sofreu, sofreu, sofreu e enquanto sofria parecia que estava em um casulo. Tentou, tentou, tentou e conseguiu... renasceu como phoenix! Quando esse casulo se abriu, muitas pessoas se surpreenderam o quanto essa menininha tinha mudado. Espantaram-se de verdade, porque agora ela não liga mais para o que os outros pensam dela, fala o que quer, sem medo do que vão achar, ninguém mais manda nela e todos agora têm certeza que ela NÃO é de porcelana, mas sim uma menina com fibra e muita garra. Hoje em dia para ela o que importa é ser feliz, não importa onde, com quem, porque, como... As coisas ultimamente não estão ajudando, são fatos e boatos acontecendo um atrás do outro na mesma hora e que a faz lembrar daquela menininha que ela já foi.
    Ela não sente falta de como ela era antes, mas me confessou que ainda tem um pouco daquela inocência dentro dela e também ainda acredita que as coisas uma hora podem dar certo. Ainda sonha acordada com as coisas que ela almeja e que um dia ela vai conseguir. A fé dentro dela é muito grande, porque ela tem certeza absoluta que Deus está guardando algo grandioso e que em breve estará em suas mãos. Eu, particularmente acho que ela merece muito ser feliz, tanto profissionalmente, financeiramente e também no amor, claro!  Seu príncipe encantado de verdade deve estar por aí também, talvez eles já tenham se encontrado e nem sonham que um dia eles serão um grande amor um do outro, mas isso, são cenas do próximo capítulo.

Ah, o nome dessa menininha... Adivinha?